Releases

Novembro é mês de conscientização!

Para alertar população masculina sobre a prevenção e diagnóstico precoce do câncer, campanha Novembro Azul reforça importância dos cuidados com a saúde do homem.

A cada 38 minutos um homem morre vítima de câncer no Brasil. Os dados são do Instituto Nacional do Câncer (Inca) que estimou em 2018 o surgimento de 68.220 novos casos da doença. Os números trazem à luz a necessidade de incentivar cada vez mais a preocupação com os cuidados com a saúde do homem.

Para reforçar essa mensagem foi criado o Novembro Azul. O movimento, que tem repercussão mundial, chama atenção para a conscientização da sociedade sobre a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de próstata.

“Pesquisas apontam que o câncer é um dos maiores causadores de mortes do mundo, sendo que no Brasil a doença é a segunda causa de óbitos, atrás apenas das doenças cardiovasculares”, ressalta o médico do Trabalho do SESMT, Dr. Tarcísio Hamilton.

De acordo com o Ministério da Saúde, o câncer de próstata é um tumor que afeta a próstata, glândula localizada abaixo da bexiga e que envolve a uretra. Ele é confirmado após biópsia, indicada ao encontrar alguma alteração no exame de sangue (PSA) ou no toque retal, que somente são prescritos a partir da suspeita de um caso por um médico especialista.

“Atualmente, cerca de 20% das pessoas ainda são diagnosticadas em estágios avançados”, salienta Dr. Tarcísio Hamilton reforçando que a maior conscientização da população masculina e das políticas de rastreamentos realizadas nos últimos anos têm contribuído para redução desse número.

Sintomas, fatores de risco e tratamento 

Estar atento aos sintomas é crucial para o diagnóstico precoce da doença, já que o câncer de próstata pode apresentar uma evolução lenta e, em alguns casos, pode não apresentar sintomas na fase inicial. “A dificuldade de urinar, presença de sangue na urina e necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou noite estão entre os sintomas da doença”, alerta o médico.

Alguns fatores de risco contribuem para o aumento das chances do homem ter câncer de próstata. São eles: idade, histórico de câncer na família, sobrepeso e obesidade. Na idade, embora a incidência quanto a mortalidade seja maior após os 50 anos, é necessário ficar alerta na identificação de sintomas chaves (alteração na frequência e padrões urinários; sangue visível na urina; e disfunção erétil), que determinarão a necessidade de se fazer exames, como o PSA e o de toque retal, ainda um tabu para muitas pessoas.

“É necessário incentivo por parte de familiares e amigos, além de desmistificar o exame de toque retal que se torna banalizado por ser alvo de piadas em nosso cotidiano. Iniciar uma primeira consulta para fortalecer a relação médico-paciente torna-se imprescindível para este objetivo”, acrescenta o médico.

O tratamento do câncer de próstata pode ser realizado por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), de forma integral e gratuita. De acordo com o Inca, quando a doença é localizada, ou seja, só atingiu a próstata, o tratamento é feito por cirurgia, radioterapia e, em casos especiais, observação vigilante. Para os casos mais avançados, a indicação é radioterapia ou cirurgia combinada com tratamento hormonal. Nos casos de metástase – fase em que o tumor atingiu outras partes do corpo – o tratamento indicado é a terapia hormonal. O médico, junto com o paciente, definirá qual a melhor forma de tratar a doença.

De olho na saúde

Manter os cuidados com a saúde é um dos caminhos para melhorar a qualidade de vida e reforçar a prevenção. Fazer exames periódicos, manter uma alimentação saudável e realizar atividades físicas de forma regular são práticas que ajudam nesse processo.

“Os velhos hábitos saudáveis tanto comentados pelas diversas áreas da Saúde são determinantes para a prevenção dessa doença. Já está comprovado que uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordura, principalmente as de origem animal, ajuda a diminuir o risco de câncer, assim como de outras doenças crônicas não-transmissíveis. Também é recomendado fazer, no mínimo, 30 minutos diários de atividade física, manter o peso adequado à altura, diminuir o consumo de álcool e não fumar”, reforça Tarcísio Hamilton.

Para o médico da Flex, a disseminação das informações é fundamental para o combate à doença. “O Dia Nacional de Combate ao Câncer tem como objetivo ampliar o conhecimento da população brasileira sobre a doença, principalmente sobre a sua prevenção. Divulgar essas informações aos familiares, amigos e pessoas próximas é muito importante”, finaliza.

Compartilhar:

20 de novembro de 2019

Compartilhar: